Filme sobre a Revolta dos Búzios marca o lançamento do Circuito Luiz Orlando de Exibição

 

Nesta quarta-feira (28), às 19h, a Escola Cultural Luiz Viana, em Brotas, sedia o lançamento do Circuito Luiz Orlando de Exibição, com a exibição do longa-metragem 1798: Revolta dos Búzios, do diretor Antonio Olavo, que conta a história do levante dos negros baianos que marcou importante episódio de luta pela independência e pelo fim da escravidão. A ação de lançamento será restrita a convidados e é coordenada pela Diretoria de Audiovisual (Dimas), acontecendo no âmbito do Novembro das Artes Negras, evento da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb), órgão da Secretaria de Cultura (Secult).

O Circuito Luiz Orlando de Exibição, que homenageia o ativista e cineclubista negro, se constitui como uma política de acesso ao cinema através da constituição de pontos gratuitos voltados para exibição de obras brasileiras, em especial, baianas. Inicialmente o projeto acontecerá nas 85 Escolas Culturais do Estado, que reúnem ações culturais e educacionais, através das secretarias de Cultura (Secult), Educação, de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS) e Casa Civil, distribuídas nos 27 territórios de identidade.

Estão compondo o Circuito, os filmes patrocinados pelo Fundo de Cultura que deverá chegar a diversos locais de exibição não convencional como Pontos de Cultura e Centros Culturais na capital e nos territórios. A ação coordenada pela Diretoria de Audiovisual da Funceb (Dimas) pretende difundir a produção baiana no segmento, ampliar o acesso e estimular reflexões e diálogos em torno de temas relevantes da agenda contemporânea a partir da perspectiva audiovisual.

Fonte: Ascom/Secult

SERVIÇO
O QUÊ:
 Lançamento do Circuito Luiz Orlando de Exibição + sessão do filme “1798: Revolta dos Búzios”
QUANDO: Quarta-feira, 28 de novembro, às 19h
ONDE: Escola Cultural Luiz Viana – (Rua Waldemar Falcão, 7, Brotas – Salvador/BA)
VALOR: Grátis, para convidados 

1798 – A Revolta dos Búzios

Direção: Antônio Olavo
Produzido por Portfolium Laboratório de Imagens
O filme registra um movimento conspiratório ocorrido na Bahia em 1798, protagonizado por dezenas de homens negros que planejaram um Levante com o objetivo de derrubar o governo colonial, proclamar a independência e implantar uma República livre da escravidão.


Luiz Orlando, amor pela Bahia e pela Sétima Arte

Fundação Cultural Palmares, 2 jul 2007
www.palmares.gov.br/?p=1857

Nascido em Salvador, em 25 de agosto de 1945, Luiz Orlando da Silva tornou-se uma das principais referências na história do cineclube do Brasil, graças a sua militância incansável na difusão das grandes obras da Sétima Arte. Foi a paixão pelo cinema que levou Luiz Orlando a percorrer comunidades negras, cidades do interior do Brasil e metrópoles do mundo inteiro, exibindo filmes e vídeo-documentários que revelavam a história e a cultura da população negra da África e Diáspora.

Luiz Orlando também era muito respeitado por críticos e cineastas internacionais, sendo convidado a prestar assessoria em diversos festivais de cinema ao redor do mundo. No Brasil, foi curador do Festival de Cinema Panafricano e auxiliou Guido Araújo na Jornada Internacional de Cinema da Bahia, além de ser suplente da Associação Baiana de Cinema e Vídeo (ABCV-BA). Também esteve presente na luta pelo fortalecimento do Movimento Negro, a partir da década de 70, contribuindo através da arte audiovisual e chamando atenção para a representação da imagem do negro pela mídia.

Gentil, de fala doce e sempre disposto a ajudar, Luiz Orlando era o nome mais procurado por pesquisadores do cinema negro, tendo ajudado a realização de inúmeras teses acadêmicas. Era responsável pelo acervo de áudio-visual da Faculdade de Comunicação da Universidade Federal da Bahia. Emprestava, copiava e presenteava a todos com filmes raros e livros fundamentais sobre a presença negra no mundo.

Prestes a completar 61 anos, Luiz Orlando faleceu em 04 de agosto de 2006, vítima de um câncer, deixando uma grande saudade entre militantes negros, cineastas, críticos de cinema, e demais apaixonados pelo cinema, que compartilhavam com o cineclubista o amor pelas imagens em movimento.


Blog em homenagem ao cineclubista e ativista Luiz Orlando
luizorlando.blogspot.com

Artigo de Guido Araújo sobre Luiz Orlando
http://www.culturadigital.br/cineclubes/cineclube/rtigos/uma-vida-dedicada-ao-cinema

Matérias do programa Soterópolis sobre cineclubismo
http://faustojunior.com/blog/cineclubismo-no-soteropolis

0

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.