Teve início no dia 25/jan a 6ª edição do FICWALLMAPU – FESTIVAL INTERNACIONAL DE CINE Y LAS ARTES INDÍGENAS, em Wallmapu. Oficialmente podemos dizer que é no Chile, mas na verdade Wallmapu se refere ao território habitado pelo povo Mapuche ao longo dos anos, que compreende também regiões da Argentina.

O curtíssima-metragem ONDE TEM ÍNDIO TEM FLORESTA, de Fausto Junior, foi selecionado para participar do festival, dentro da mostra Artes Indígenas.

Além desse meu filme de 3’34 min, podem ser vistos (gratuitamente e online) diversas outras obras com temáticas indígenas. Basta ir ao site https://www.ficwallmapu.cl e ver como ter acesso aos filmes.

ONDE TEM ÍNDIO TEM FLORESTA está em www.ficwallmapu.cl/pelicula/where-you-have-indians-you-have-forest-donde-hay-indigenas-hay-bosque
O encerramento é no dia 29/jan.

Uma coisa interessante é que, além de informações como duração, país de origem, ano de produção, o festival cataloga também os povos focados em cada filme: Inuk, Quechua, Guarani…

No caso de ONDE TEM ÍNDIO TEM FLORESTA busquei várias referências: na abertura uma frase dos Guaraní-Mbya, cânticos dos Mebêngôkre-Kayapó, Kuikuro e Fulni-ô, imagens de Kamayurá, Kuikuro e Yawalapti.

O festival conta também com conversas (em espanhol) e produções dos mais diversos tipos, formatos e paises: longas, curtas, curtíssimos, documentários, animações. Um belíssimo painel de povos originários de todo o planeta.

O instagram e o facebook do festival usam o endereço @ficwallmapu

0