Saiu o resultado com os projetos vencedores do Edital de Fomento à Produção Audiovisual Baiana 2014, realizado pelo IRDEB –  Instituto de Radiodifusão Educativa da Bahia em parceria com a Agência Nacional do Cinema – ANCINE.

Na Categoria A – Obra Seriada de Animação, a dupla Caó Cruz Alves e Fausto Junior (olha nós aê) se junta à equipe de Nena Oliveira, da Inspirar Comunicação e Cultura, com o projeto Natureza do Homem. Estamos em ótima companhia – o outro projeto selecionado nesta categoria foi Bill, O Touro, de Ducca Rios e Maria Luiza Barros, pela Origem Comunicação.

Veja abaixo lista completa dos projetos selecionados com as sinopses. É uma turma de peso!

Segue nota publicada no jornal A Tarde (clique na imagem para ampliar):

edital_irdeb_out2014

Segue nota divulgada pelo IRDEB com lista de selecionados e comissão de seleção:

Fonte: www.irdeb.ba.gov.br/irdeb/acontece/13916-resultado-final-do-edital-de-fomento-a-producao-audiovisual-baiana

Em parceria com a Ancine, mais de R$ 6 milhões estão sendo destinados para produção de projetos inéditos de documentários e telefilmes, além de obras seriadas, no Edital de Fomento à Produção Audiovisual Baiana 2014.

 A Secretaria de Comunicação Social do Estado da Bahia, através do IRDEB – Instituto de Radiodifusão Educativa da Bahia publicou hoje, no Diário Oficial do Estado, o resultado do Edital de Fomento à Produção Audiovisual Baiana 2014, realizado por meio da Chamada Pública 01/2014 da Agência Nacional do Cinema – ANCINE, que tem como objeto suplementar recursos financeiros aportados por órgãos da administração pública direta ou indireta estadual. O Edital disponibiliza um valor global de R$ 6.300 mi (seis milhões e trezentos mil reais) para produção de projetos de documentários, telefilmes de ficção e obras seriadas de ficção, documentais e de animação, com destinação e exibição inicial em televisão. Os projetos contemplados têm janela assegurada de exibição na TV Educativa da Bahia, mas as produtoras podem negociar posteriormente suas obras com outros canais, atendendo assim a demanda por conteúdos regionais da lei da TV Paga.

Os vencedores são:

Categoria A – Obra Seriada de Animação – 26 episódios de 1’30”

 

Projeto: “Bill, O Touro”

Proponente: Origem Comunicação Ltda

Direção: Ducca Rios

Roteiro: Ducca Rios e Maria Luiza Barros

Valor investido pela SECOM/IRDEB e ANCINE/FSA: R$ 399.964,00

Sinopse: É uma série de animação 2D, voltada para o público de 5 a 8 anos e que se desenvolve através das disputas entre dois personagens (Biil, o touro e Doc, o pato) que são grandes amigos, mas que vivem em uma eterna discussão. Essa oposição entre os dois ilustra o conflito principal das tramas, com cada episódio apresentando uma briguinha diferente, sempre em um ritmo acelerado e muito engraçado.

Projeto: “Natureza do Homem”

Proponente: Inspirar Comunicação e Cultura Ltda

Direção: Caó Cruz Alves e Fausto Júnior

Roteiro: Caó Cruz Alves e Fausto Júnior

Valor investido pela SECOM/IRDEB e ANCINE/FSA: 398.950,00

Sinopse: Apresenta o personagem Homem, um personagem simpático, mutante e contraditório como a própria natureza pressupõe. A série procura mostrar, refletir, com doses espirituosas e líricas, de forma sutil e elegante, sobre inúmeros conflitos da sociedade atual e, de uma maneira subliminar, provoca ao longo dos episódios soluções inusitadas. A idéia é promover uma ação educativa interessante ao estimular o respeito às diferenças e a solução a todos os problemas surgidos, com humor e bom senso.

Categoria B – Obra Seriada de Ficção – 13 episódios de 3’

 

Projeto: “A Professora de Música”

Proponente: Voo Audiovisual Produções Artísticas Ltda

Direção: Edson Bastos e Henrique Oliveira

Roteiro: Edson Bastos e Henrique Oliveira

Valor investido pela SECOM/IRDEB e ANCINE/FSA: R$ 200.000,00

Sinopse: A Professora de Música vai abordar por meio de um recital da escola de música, a relação da Professora Íris com seus alunos. É chegado o dia do recital da Escola de Música Lá Maior e a professora de música Íris está um pouco apreensiva pelo sucesso do evento e do bom desempenho dos seus alunos. Durante a tarde de preparação, após a realização dos ensaios, um problema com a caixa de som inicia uma série de dificuldades que podem fazer com que o recital seja cancelado.

Projeto: “Botecam”

Proponente: Sereia Filmes Ltda

Direção: Cristian Lopez

Roteiro: Cristian Lopez

Valor investido pela SECOM/IRDEB e ANCINE/FSA: R$ 192.000,00

Sinopse: Botecam é um sitcom que se baseia nos encontros de diversos personagens, das mais diferentes origens e estratos sociais em um ambiente diverso e democrático. Em um boteco de esquina, como existem milhares no Brasil, se reúnem e se encontram pela manhã, pela tarde, pela noite, diferentes personagens próprios da cultura brasileira, discutindo entre eles a política, a sociedade, a cultura.

Categoria C – Obra Seriada de Ficção (Infantil) – 13 episódios de 26’

Projeto: “Francisco só quer jogar bola”

Proponente: Doc Filmes Produções Audiovisuais Ltda

Direção: Sofia Federico

Roteiro: Sofia Federico e João Rodrigo Mattos

Valor investido pela SECOM/IRDEB e ANCINE/FSA: 2.399.862,00

Sinopse: Francisco mora numa cidade grande que tem tudo, menos espaço para ele jogar bola. Tem até um parque perto de sua casa, mas lá é proibido andar de bicicleta, passear com cachorro e pisar na grama. A grama é mal cuidada, mas é grama de verdade! Pena que não dá pra bater uma bola nela. Mesmo que desse, Francisco não iria ao parque, porque ele está proibido de andar na rua sozinho. Ir ao parque, só acompanhado de adulto. Mas os adultos da vida de Francisco – seu pai e sua mãe – estão sempre muito ocupados.

Categoria D – Obra Seriada Documental – 5 episódios de 26’

Projeto: “O Senhor das Jornadas”

Proponente: Truque Produtora de Cinema TV e Vídeo Ltda

Direção: Jorge Alfredo

Roteiro: Jorge Alfredo

Valor investido pela SECOM/IRDEB e ANCINE/FSA: R$ 250.000,00

Sinopse: Usa como fio condutor a trajetória do cineasta e criador da Jornada de Cinema da Bahia Guido Araújo, para contar a contribuição da Bahia para o cinema brasileiro, durante a segunda metade do século XX. O panorama a ser explorado inclui as diversas fase e gerações do cinema baiano destacando, sempre, a Jornada Internacional de Cinema da Bahia (1972 a 2012), que se desenvolve como ambiente de encontro, trocas, fortalecimento e fomento do cinema independente e experimental brasileiro e latino americano.

Projeto: “Diversidade”

Proponente: Dois Arroz Filmes & Produções Ltda

Direção: Leandro Santos Rodrigues e Elen Linth

Roteiro: Leandro Santos Rodrigues e Elen Linth

Valor investido pela SECOM/IRDEB e ANCINE/FSA: R$ 249.986,79

Sinopse: Série sobre a vida de 8 personagens no universo LGBT que estão em processo de reconhecimento de direitos. Através do dispositivo contemporâneo da “busca”, a série ´Diversidade´ acompanhará durante cinco meses os oito personagens do universo LGBT em processos legais em instituições públicas e/ou órgãos jurídicos de direitos.

Categoria E – Documentário (duração mínima de 50’ e máxima de 120’)

Projeto: “1798: A Conspiração e a Devassa”

Proponente: Portfolium Laboratório de imagens Ltda

Direção: Antônio Olavo

Roteiro: Antônio Olavo

Valor investido pela SECOM/IRDEB e ANCINE/FSA: R$ 300.000,00

Sinopse: Imagine o ano de 1798 na Província da Bahia; centenas de homens negros confabulando clandestinamente com homens brancos, planejando um Levante para derrubar o Governo Colonial, proclamar a independência e implantar uma República democrática, livre da escravidão. Imagine a ousadia destes homens afixando em vários pontos da cidade, papéis manuscritos que conclamavam o povo fazer a Revolução. Imagine a conspiração se espalhando pela cidade, ganhando adesões, preparando a insurreição e tomada do poder. Agora imagine o movimento denunciado e o governo instalando uma Devassa que atingiu centenas de pessoas, condenadas a açoites públicos, prisões, degredo perpétuo; culminando numa praça, onde quatro homens negros são enforcados e esquartejados perante milhares de pessoas.

Projeto: “A Cidade do Futuro”

Proponente: Coisa de Cinema – Cinema e Vídeo Ltda

Direção: Cláudio Marques

Roteiro: Marília Hughes

Valor investido pela SECOM/IRDEB e ANCINE/FSA: R$ 300.000,00

Sinopse: Quatro jovens buscam assumir a homossexualidade em Serra do Ramalho, cidade criada pelos militares nos anos 70 para receber a maior parte das 73 mil pessoas devido à construção da hidrelétrica do Sobradinho. “A Cidade do Futuro” é um documentário de encenação-construída, com fortes elementos dramáticos, onde os personagens são atores de suas próprias trajetórias. O documentário irá encenar as histórias de vida dessas pessoas, mas também irá contar com depoimentos, sobretudo das pessoas mais velhas que foram deslocadas no momento da criação de Serra do Ramalho.

Categoria F – Telefilme Ficção (duração mínima de 50’ e máxima de 120’)

Projeto: “Café com Canela”

Proponente: Rosza Filmes e Produções Ltda

Direção: Ary Rosa Duarte e Glenda Nicácio

Roteiro: Ary Rosa Duarte e Glenda Nicácio

Valor investido pela SECOM/IRDEB e ANCINE/FSA: R$ 798.179,00

Sinopse: Recôncavo da Bahia. Margarida vive em São Félix, isolada pela dor da perda do filho. Violeta segue a vida em Cachoeira, entre adversidades do dia a dia e traumas do passado. Quando Violeta reencontra Margarida inicia-se um processo de transformação, marcado por visitas, faxinas e cafés com canela, capazes de despertar novos amigos e antigos amores.

Projeto: “A Finada Mãe da Madame”

Proponente: Santa Luzia Filmes e Produções Artísticas Ltda

Direção: Bernard Attal

Roteiro: Bernard Attal

Valor investido pela SECOM/IRDEB e ANCINE/FSA: 800.000,00

Sinopse: Telefilme inspirado na peça homônima de Georges Feydeau. Na Bahia dos anos setenta, Lúcio, um bancário de trinta e cinco anos, volta de madrugada, fantasiado e embriagado, de uma festa no Clube dos Fantoches. Ele deve enfrentar a ira da sua esposa, Terezinha, que aproveita do momento para se queixar da falta de carinho e de delicadeza do seu marido e também da sua irresponsabilidade quanto ás finanças da casa. A briga finalmente se esgota quando Prudêncio bate na porta. O mordomo vem anunciar a morte da mãe de Terezinha. A notícia joga Terezinha no desespero, mas, parece resolve alguns dos problemas de Lúcio.

Para o diretor-geral do IRDEB, José Araripe Jr, é cada vez mais constante e intensa a produção de curtas e longas para o cinema na Bahia, que entra numa nova era, a de produzir séries pra TV, tendência nacional prevista na nova lei de TV paga. “Com este edital, é isso que a SECOM/IRDEB, junto com a ANCINE proporciona às produtoras independentes baianas. Esta nova fronteira de produção de conteúdos dinamiza a criação, impulsiona a cadeia econômica, oferecendo assim mais oportunidades de empregos para os profissionais baianos do audiovisual”, ressalta o diretor.

Quem não foi contemplado dessa vez, terá nova oportunidade, pois este ano, a Ancine junto com a TV BRASIL, pretende lançar mais um edital que contemplará também a região Nordeste, para produção de conteúdos para as TVs Públicas. A SECOM/IRDEB também prepara novo edital para o segmento. No ano de 2014 o governo do estado da Bahia/SECULT já realizou investimento, via Fundo de Cultura, no valor de R$ 6,5 milhões para o audiovisual baiano.

No Edital de Fomento à Produção Audiovisual Baiana 2014, aberto em julho de 2014, pela Secretaria de Comunicação Social do Estado, através do IRDEB, 1/3 dos recursos serão disponibilizados pelo IRDEB e os outros 2/3 serão investidos pelo Fundo Setorial do Audiovisual – FSA da ANCINE, por meio do Programa Brasil de Todas as Telas. O investimento para obras seriadas será de R$ 4.1 mi (quatro milhões e cem mil reais) e para documentários e telefilmes será de R$ 2.2 mi (dois milhões e duzentos mil de reais).

O Edital 02/2014 de Fomento à Produção Audiovisual Baiana 2014  tem por objetivo o atendimento de demandas presentes nos diversos segmentos da atividade e o fortalecimento da cadeia produtiva do audiovisual baiano. A indústria audiovisual tem grande potencial de crescimento no Brasil, impactando, direta e positivamente, na geração de emprego e renda. O Edital prevê a geração de inúmeros postos de trabalho diretos e indiretos e o envolvimento de aproximadamente 200 empresas, sendo onze produtoras audiovisuais e cerca de 189 fornecedores de serviços.

Comissão de Seleção – A comissão de seleção do edital foi composta por profissionais de renome da área de audiovisual, de diversos estados brasileiros e indicada pela APC Bahia – Associação de Produtores e Cineastas da Bahia, pela ABCA – Associação Brasileira de Cinema de Animação e validada pela comissão do Audiovisual do Conselho de Comunicação do Estado da Bahia. Para o jornalista Marco Antônio Coelho,  a experiência foi gratificante e surpreendente, por causa do alto nível das propostas apresentadas o que, segundo ele, “tornou o trabalho do júri muito agradável e tranquilo a despeito do volume das proposições”. Outro ponto apontado por Coelho foi o fato do conjunto dos  projetos ter revelado uma grande maturidade e preparo dos produtores baianos. Para a produtora catarinense Luiza Lins a surpresa veio da diversidade de temas apresentados. Segundo ela, foi difícil escolher. “Alguns ótimos projetos ficaram de fora… Uma pena! Mas são projetos que tenho certeza que em breve serão produzidos”, avalia Luiza que também disse ter gostado em especial do interesse das produtoras baianas nas produções infantis.

José Araripe Jr. – É diretor e roteirista, tendo realizado diversas obras audiovisuais como “Esse Moços” (2007),  Rádio Gogó (1999) e Mr. Abrakadabra! (1996). Formado em Artes Plásticas com especialização em cinema pela UFBA. Foi Gerente do Centro Técnico do Audiovisual – CTAV. Gerente de Projetos Especiais e Gerente Executivo de Conteúdo da Empresa Brasil de Comunicação – EBC. Atualmente é Diretor-Geral do Instituto de Radiodifusão Educativa da Bahia.

Marco Antônio Coelho – Experiente diretor de jornalismo de televisão pública. Acumula passagens pela Editora Abril/SP, Diário da Manhã/GO, Gazeta Mercantil/SP e as TVs paulistas Gazeta e Cultura. Desde 2009 está na EBC-SP onde assumiu a superintendência de rede. À frente do Jornalismo da TV Cultura, promoveu a política de produção independente  que resultou no mais importante programa de apoio e desenvolvimento de documentários brasileiros: o DOCTV.

Torquato Joel – Torquato Joel (Souza PB 1957). Estudou Comunicação/Jornalismo. Participou do Ateliê de Cinema Direto do Núcleo de Documentário da UFPB (NUDOC) e, em 1982 e 1986, realizou estágios de aperfeiçoamento em cinema direto no Atelier de Réalisation Cinématographique – Varennes (Paris). Neste período de formação realizou seus dois trabalhos em superoito. Em 1986 passou a trabalhar com 16 mm e em 1992 frente à crise da produção cinematográfica, experimentou o suporte vídeo, realizando A alma da pedra, premiado na Jornada Internacional de Cinema da Bahia. Entre 1992 e 1996 Torquato Joel trabalhou como roteirista, assistente de direção e montador em produções cinematográficas variadas na Paraíba.Em 2000 foi um dos realizadores convidados a fazer um vídeo para a Mostra 50 Anos de TV.

Hilton Lacerda – Roteirista e diretor, nascido em Recife em 1965, iniciou suas atividades profissionais atuando como assistente de direção e co-roteirista a partir de 1988. Nos anos 90, formou com Helder Aragão a dupla Dolores & Morales, responsável pela direção de vários videoclipes da cena Manguebeat. Roteirista dos longas “Baile Perfumado” (1997), ” Amarelo Manga” (2003), ” Árido Movie” (2004), “A Festa da Menina Morta” (2008), “Capitães da Areia” (2011), entre outros. Dirigiu e roteirizou “Tatuagem” (2013).

Luiza Lins – Catarinense realizou os seus estudos na cidade do Rio de Janeiro e Nova York. Realizou, como produtora executiva, vários documentários, entre eles “Arquitetura na Ilha de Santa Catarina” e “O Capitão Imaginário”, este último premiado como o melhor filme ecológico do Brasil de 2002. Em 2002, criou a empresa Lume Produções Culturais e idealizou e realizou a primeira Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis, evento pioneiro no Brasil que promove a inclusão social, a educação através do cinema e o desenvolvimento do cinema infantil nacional. Foi presidente da Cinemateca Catarinense – ABD/SC entre 2006 e 2008. Participou na equipe de curadoria infantil da Programadora Brasil/MINC em 2008,2009 e 2012, projeto que visa a democratização do conteúdo do cinema nacional.

 

0

Deixe seu comentário